Ten José da Silva Pedroso

José da Silva Pedroso 1 Ten da reserva remunerada, nascido no dia 7 de Julho de 1955, filho de  Maria de Castro Pedroso, e que em razão do erro do cartório de registros civis, não constou em sua certidão de nascimento o nome do pai. Vem uma família humilde, José tem quatro irmãos, Adevino da Silva Pedroso,  que e funcionário de carreira, aposentado da CEEE , Antero da Silva Pedroso, também ten-pilchadofuncionário de carreira, aposentado do DAER, Odete Pedroso que é micro empresária em Caxias do Sul e Albino Pedroso que trabalha no sitio da família em São Vicente do Sul, na infância para ir ao colégio tinha que atravessar 5 (cinco) sangas e a distância da escola era mais de 10 km, onde o trajeto era feito juntamente com outros colegas e primos lembra, trajeto feito por campos e matas além de várias brigas com os colegas e primos também enfrentava e perigo de cobras e outros bichos. Das brigas com os primos resultou numa inimizade familiar que perdurou por mais de 30 anos.

Com seus 12 anos José decidiu seguir um caminho diferente do da família que vivia da pequena agricultura, normalmente em terras de outras pessoas, onde o pagamento era feito dando parte da produção e do artesanato, pois o pai era um exímio fabricante de gamelas. Seu primeiro emprego foi na casa de uma família de descentes de italianos, pelos quais sempre manteve grandes laços afetivos, suas tarefas  eram ajudar na distribuição de leite manejo com as vacas, lides nas hortas e também nas lavouras. Trabalhava o dia inteiro e estudava a noite. Cujo deslocamento da casa desta família, até o colégio era de aproximadamente 8 km, onde a maior parte do caminho não possuía iluminação. Foi uma fase difícil, pois como cidade do interior qualquer fato  causava grande apreensão nas comunidade e este período foi quando os tupamaros uruguaios estavam no auge e se enfrentava muito medo para retornar do colégio, pois todos os moradores da pequena cidade viviam

Depósito  Armamentos e  Munições), em Phillipson, hoje distrito de Itaára. Tendo Engajado foi fazer o 2º grau no colégio Estadual Maria Rocha em Santa Maria, a noite, onde se deslocava apavorados com  medo de assaltos e seqüestros por parte destes.

Após completar 18 anos alistou-se no Exército em Santa Maria, pois não quisera prestar serviço militar em Santiago, tendo em vista que naquela cidade possuía unidades de Cavalaria e não queria servir onde houvesse Cavalos. Já alistado e com data definida para se apresentar no Exercito foi  trabalhar na construção da  barragem de Itaúba no Rio Jacui  –  hoje a maior do Estado – tendo de se apresentar às fileiras do Exército,  teve muita dificuldade para a empresa (Camargo Correa) lhe liberar, pois queriam que permanecesse na Empresa e várias propostas de crescimento funcional lhe eram apresentadas, mas não havia como não se apresentar no serviço militar, pois se não o fizesse  passaria a condição de submisso.

Se apresentou no 29º Batalhão de Infantaria Blindado em Santa  Maria em Março de 1974. Após concluídas as instruções básicas foi destinado juntamente com os demais membros da sua Companhia para inauguração da 13ª Cia DAM (Companhia de diariamente para freqüentar as aulas a noite. Com a autorização dos superiores, tirava serviço aos finais de semana para os colegas e estes durante a semana para poder estudar. Em 1977, ingressou no Curso de Sargentos da Brigada Militar, na EsFAS em Santa Maria, juntamente com outros dois colegas – Ademar Valetim Binotto, hoje Oficial Superior da BM e Edison Luis Marques de Deus, da RR da BM. Concluído o curso de formação foi classificado no 9º BPM. Onde permaneceu até 1981, sendo depois transferido para a Diretoria de Pessoal. Em 1985 foi designado para servir na Casa Militar – Gabinete do Governador do Estado. Com a troca de Governo foi classificado no CSMCom, não tendo se adaptado nesta  OPM, já que era uma unidade de manutenção de equipamentos de  comunicação e o mesmo não era técnico, requereu transferência para a Diretoria de Informática. Em 1994 foi transferido para o Gabinete do Comandante-Geral da BM – assessoria Parlamentar. Em 1999 foi trabalhar na Força Tarefa – Presídio de Alta Segurança de Charqueadas. E ao retornar foi classificado no 4º RPMon (RBG) onde encerrou a carreira após 31 anos de serviço. Do que ressalta sem nenhuma punição em sua ficha disciplinar, com muito orgulho.

Seu ingresso na Brigada Militar se deu em razão de estar a procura de trabalho  e ter sido aberto concurso para entrar direto como aluno Sargento na BM. Em 20 de fevereiro de 1977, juntamente com os colegas já citados. Decisão que lhe enche de orgulho pois se sente muito realizado em ter pertencido a Corporação e ter podido prestar serviço a comunidade com lealdade e esmero.

 

Neste tempo também ingressou no curso de engenharia Elétrica na PUC, mas por questões financeiras não conseguiu concluir o curso tendo freqüentado até o sexto semestre. Também freqüentou até e 5º  semestre do curso de Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior na FARGS , mas que em razão da separação matrimonial, enfrentou um período tendo que trancar o Curso. A duração de seu curso foi de um ano, José lembra até hoje, quem foi seu primeiro comandante, Tenente Coronel Oswaldo Oliveira da Silva,  bem como o segundo Comandante 2° Comandante Tenente Coronel  José Ângelo Lucas Dutra. .

Tenente Pedroso sempre foi orgulhoso de sua escolha profissional, expectativa na plenitude, não teve nenhum problema com colegas, comandantes e subordinados, sempre respeitou as leis, a  estrita observância das leis, regulamentos e normas da corporação, tudo que tem hoje deve agradecer a instituição, para seu orgulho depois que entrou para Brigada Militar junto vieram dois sobrinhos e uma sobrinha.  Sua Expectativa, é de que seu filho advogado ingresse na carreira de oficiais da Brigada Militar.

José tem dois filhos, Bruno de Souza Pedroso com 28 anos atua como Vigilante do Fórum de Eldorado do Sul e Fernando de Souza Pedroso com 26 anos, formado em Direito, já tem seu próprio escritório. ten-e-as-netasJose é separado do seu primeiro casamento e hoje vive com sua companheira Ângela Maria Souza de Quadros, Tem seis netos: Sthephanye – adotada. Manuella – neta Legítima e: Isabelli, João Gabriel, Maria Luisa e Matheus estes por afinidade, pois são netos de Ângela. é uma família humilde que aceitam com muito orgulho sua profissão.

Motivação, recebeu homenagem de 10 e 20 anos de serviço, 1991/2001, medalha de primeiro lugar do (CAS) e de defesa civil em 1991. Um fato em que marcou sua vida, foi ter comandado a guarda externa da Cúria Metropolitana para o pernoite do Papa  João Paulo II,  quando da sua visita, em Porto Alegre, no ano de 1980.

Em 1987 foi eleito conselheiro do  Clube dos Subtenentes  e  Sargentos da BM. Tendo sido relator da reforma do Estatuto que transformou de clube para associação de Subtenentes e Sargentos, ressalta que foi a entidade pioneira nesta transformação. Em 1989 em eleição direta pelos associados  foi eleito   Vice-Presidência da Associação, juntamente com o Presidente Jacques Barcelos Ortiz, sendo ambos reeleito para mais dois mandatos. Retornou em 2004 para a entidade na condição de Secretário após foi eleito Conselheiro. Presidente deste nos anos de 2011, 2014 e 2015, sendo atualmente vice-presidente deste. Tem atuação ativa na ASSTBM, participando das decisões e reformas de Estatutos, Regulamentos e Regimentos.

Quando José tem o tempo disponível, gosta de cavalgar, assistir Futebol, sendo Gremista com muito orgulho, gosta muito de assistir  e ler jornais e revistas se considera um devorador de Jornais. Exímio assador de Churrasco  e ainda gosta de dar alguns pitacos em comidas italianos e gaúchas. Gosta muito de ler livro  que contem fatos históricos, não aprecia ficção.   Participa de algumas atividades de ten-e-paejabenemerência, junto com um grupo de amigos dentre as entidades cita:  Lar da amizade, que é uma entidade de cegos e pessoas com Leves deficiências e Creche  Tia Loló em Viamão onde são abrigadas aproximadamente 150 crianças carentes.

Jose cita com orgulho que durante sua trajetória na vida militar, deixou um leque de amizades, dentre superiores, pares e subordinados.

Jose também vê com muito orgulho a atividade diária dos bravos Policiais Militares da Brigada Militar que, apesar das dificuldades que sempre enfrentaram e hoje com maior gravidade em razão dos parcelamentos salariais desempenham com amor, afinco e dedicação suas atividades cotidianas, honrando o juramento prestado, tendo contra si leis  benevolentes, que favorece  mais os infratores que aos próprios executores e cumpridores destas, autoridade que olham muito mais para o bandido que para os agentes da lei e sociedade de bem.

Atualmente, agenciador de seguros do  MBM – Previdência Complementar.  Fazendo visitas as  OPM, e residências de participantes e segurados, atividade que lhe enche de motivação e orgulhos.

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks

URL curta: http://www.abcdaseguranca.org.br/?p=7678

Publicado por em set 1 2016. Arquivado em 1. Brigadianos, Cap Bessi, HISTÓRIAS DE VIDA, JCB 241, Literatura. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Comentários e pings estão desabilitados.

Os comentários estão desabilitados!

Imagens

120x600 ad code [Inner pages]
Por Laboratorio Web