Sgt Paulo José Rodrigues

PAULO JOSÉ RODRIGUESpag-5-sgt-rodrigues, nascido em 28 de dezembro de 1934, filho de LOURIVAL RODRIGUES e de CLARA BRUM RODRIGUES, em uma família pobre, na vila Santa Teresinha, Pelotas, com mais oito irmãos. Criado por um pai que trabalhava e morava em uma Olaria, sendo que por lá também foi seu primeiro ofício. Sua infância foi muito simples, cursou o primário. Seu hobby era futebol e bocha.

Casou-se com Dinah Mendes Rodrigues, com a qual teve dois filhos, PAULO ROBERTO MENDES RODRIGUES, Cel. Ex-Comandante-Geral da Brigada Militar, e ROSANGELA RODRIGUES AVILA, contadora.

Em março de 1961 ingressou nas fileiras da gloriosa Brigada Militar sendo destacado para trabalhar no Pelotão da cidade de São Lourenço do Sul. Nessa cidade, concorria à escala de carcereiro (existia um presídio nas dependências), exerceu suas atividades no patrulhamento dos locais de risco, e ainda deu plantão na Delegacia de Polícia local (praxe da época). Posterior, foi designado a trabalhar no posto policial localizado no distrito de Boa Vista. A sede do destacamento ficava em um prédio que anteriormente era o hospital do distrito. Lá, também, era a residência do PM e de sua família. Era o comandante de si mesmo. Aos finais de semana recebia um patrulheiro e fazia policiamento junto aos salões de bailes por lá existentes. Permaneceu no Distrito até 1971, retornando a São Lourenço, para que os filhos seguissem os estudos. Em 1974 retornou à sede do 4º BPM, Pelotas. Em 1975, após concurso público, seu filho incluiu na Brigada Militar, junto à Academia de Polícia Militar, passando a integrar o Curso de Formação de Oficiais.  Em Pelotas exerceu atividades de policiamento ostensivo, motorista dos “famosos” caminhões de rendições das guarnições e, no final da carreira, foi escolhido para ser o motorista dos oficiais.

Em 18.11.1977, compareceu na APM, onde viu seu filho receber a espada de oficial e, adiante ser designado para servir no 11º BPM. No dia 13 de setembro de 1982, conquistou seu direito à aposentadoria, após longos anos de dedicação à Brigada Militar. Durante seu tempo de serviço, como Brigadiano de fé, sempre foi decidido no combate à bandidagem, porquanto nunca deu folga à vida dos “vagos”.

Na sequência, ano de 1983, também viu sua filha se formar em Ciências Contábeis junto à Universidade Católica de Pelotas. Homem digno, honrado, praça da Brigada Militar, pai de família. Morreu jovem é verdade, 55 anos, mas deixou um legado e um exemplo de vitória que serve de exemplo até hoje para seus familiares. Um grande sacrifício, mas muita disposição e, por fim, viu sua família ter um bom encaminhamento na vida.

 14169624_558924527629197_2039740744_nFaleceu em agosto de 1989, após um longo e dolorido tratamento de um tumor no cérebro, junto ao Hospital da Brigada Militar.

Infelizmente, não conseguiu ver seu filho exercer o cargo de Comandante-Geral de sua Brigada Militar e, sua neta, Vanessa se formar Cap. da BM (2008) e hoje servir no 4º BPM, dando continuidade às atividades que por lá exerceu. Também deixou mais três netos, sendo um contador e dois advogados.

Em 09/10/2008, por proposição do então vereador, João Carlos Cavalheiro Nedel, teve seu nome dado ao logradouro público – loteamento MORADAS DO SUL em Porto Alegre.

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks

URL curta: http://www.abcdaseguranca.org.br/?p=7674

Publicado por em set 1 2016. Arquivado em 1. Brigadianos, Cap Bessi, HISTÓRIAS DE VIDA, JCB 241, Literatura. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Comentários e pings estão desabilitados.

Os comentários estão desabilitados!

Imagens

120x600 ad code [Inner pages]
Por Laboratorio Web