Correio Brigadiano – 15 anos

Breve voltaremos a circular mensalmente

 O jornal Correio Brigadiano (JCB) completou quinze anos, no dia 5 de julho deste ano de 2010, e a Associação Pró-Editoração à Segurança Pública – Apesp, que o ancora, completou 24 anos de sua fundação.

O JCB guarda características, ainda hoje, tanto dos informativos institucionais da Brigada Militar como “EMBM Notícias” (década de 70) ou “Jornal da Brigada” (década de 80), quanto do “Mensagem Brigadiana” (década de 90), aos quais sucedeu. Em especial este último de quem é o sucedâneo real. O primeiro em tamanho meio ofício o “EMBM Notícias”, o segundo tablóide o “Jornal da Brigada”, e o terceiro novamente em meio ofício o “Mensagem Brigadiana”. Essas trocas ocorriam por conseqüência das trocas de comandos. Trocava o comando trocava o tamanho e o nome do jornal e se alteravam alguns princípios editorais. Única constante desse processo eram serem elaborados, os jornais, pelo mesmo esmerado técnico, o falecido servidor civil da Brigada Militar, jornalista Victor Moraes.

Mesmo já antes de 1992, a Polost Editora (Que editava o JCB, antes de ser formada razão social própria) já ancorava os veículos da BM. Mas foi o “Informativo Mensagem Brigadiana” o grande laboratório do JCB. Nele surgiu o conceito de que o brigadiano, divulgado na mídia de sua localidade, merecia a divulgação a todos os seus colegas da Brigada Militar. Consagrou-se, conseqüentemente também, na questão da valorização dos recursos humanos – marco operacional do JCB, com os “Destaques” dos OPMs, onde os comandantes, de frações e unidades, são os propulsores do reconhecimento a seus subordinados.

Com este ideal o jornalista Victor Moraes, o Major Pércio Brasil Álvares e o Ten Cel Vanderlei Martins Pinheiro, rascunharam durante os festejos de aniversário da Apesp, no ano de 1994, as bases do veículo que hoje, é o Correio Brigadiano. Coube ao Cel Pinheiro a tarefa de adequar a formulação de uma política noticiosa à corporação, em paralelo aos antigos informativos, implementando o novel veículo. Criou-se o compromisso de informar imparcialmente, de fazer circular como mídia gratuita aos PMs, de abrir espaço aos órgãos de classe, de aglutinar esforços dispersos no campo da segurança pública, delineando um perfil editorial bem específico. Foi esse princípio que agregamos em nossa relação com as demais instituições da SJS.

São quinza anos com mais de cinco milhões de exemplares que circularam. Um aprendizado constante em todas as áreas como circulação, comercial, administrativa e jornalismo. Transformou-se de um veículo corporativo em  segmentado. Paulatinamente deslocou seu foco para toda a segurança pública gaúcha, sem perder seu vínculo afetivo com a Brigada Militar. No início do milênio, seus trinta mil exemplares, quinzenalmente distribuídos, em todas os locais de trabalho da Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe, IGP e Detran, além dos inativos e aposentados, forram uma realização que se expressava com a idéia da permanência por mais dez anos. Fez o registro das marcas de seu interesse: Correio Brigadiano, Golfinho, abc da segurança pública e patrulheiro.

No ano de 2005 por uma concorrência desleal e uso indevido de marca que se encontra ainda sob discussão, sofreu uma acentuada queda operacional. Passou a circular bimensalmente com 15 mil exemplares mas, já está se recuperando e  breve volta a mensalidade.

A linha editorial é mantida com fidelidade a quem constrói, com seu trabalho, o dia a dia da segurança pública em nosso Estado. Destacar os executores da função policial – operadores da segurança, é prioridade de informação, aliada às questões institucionais das corporações, a partir da expressão das entidades de classe, das diversas categorias profissionais, que compõe os servidores da SJS.

Os compromissos do jornal Correio Brigadiano vão além da notícia, como informação jornalística, em toda sua acepção técnica. A “Integração cultural” através de eventos e produções intelectuais congregando os servidores das instituições já estão ocorrendo de fato. Em seu 10º aniversário e no 18º da Apesp, foi apresentado e iniciada a implementação de um “Programa de Integração Cultural” dos integrantes das diversas organizações da segurança gaúcha. Nosso lema é que estruturas não podem se integrar, no máximo se justapõe ou sobrepõe. A integração é um ato que só pode ocorrer, e por vontade própria, com as pessoas. Estruturar novas mídias com vistas a melhor integração dos quadros da segurança gaúcha é nossa principal meta.

É sua meta quando sua entidade âncora a Associação Pró-Editoração à Segurança Pública – Apesp, completar 25 anos (Bodas de Prata) voltar a circular mensalmente, previsto para o segundo semestre de 2011. Não atingimos nossa proposta de em março de 2011 voltar a circular em edições mensais, mas está programada para 2013.

Vanderlei Martins Pinheiro, tenente coronel da Brigada Militar, da reserva, é o proprietário do jornal e da empresa Correio Brigadiano Editora Jornalística Ltda, estabelecido a rua Bispo Willian Thomaz, 61, no bairro Teresópolis, em Porto Alegre, jornalista com registro nº 15.486.

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks

Imagens

120x600 ad code [Inner pages]
Por Laboratorio Web